domingo, 22 de setembro de 2013

A janela


Paulo Bomfim


Na parede do mundo abre-se a janela:
Somos paisagem.


O olhar cruzou as fronteiras do vidro:
Somos estrangeiros.


A alma navega em barcos de luz:
Somos naufrágio.


Pássaros flutuam na manhã cobalto:
Somos cantiga.


Surge a lua nova em nossa lucidez:
Somos transparência.


Nas paredes do mundo fecha-se a janela:
Somos a viagem.



extraído de : Poemas Escolhidos
ilustração: freepik 

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails