segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Um Pouco de Tudo faz três anos

Amanhã, 06 de Setembro, Um pouco de tudo fará três anos.

Parece que foi ontem que ele recebeu o primeiro post.

Por incentivo e insistência de alguns amigos resolvemos criá-lo, sem ter a mínima idéia de como funcionava um blog. Com o auxílio dessas pessoas, que nos davam aula via Dihitt, ele surgiu e não poderíamos deixar de citar e novamente agradecer a alguns deles: Dani Figueiro do Mundo Insano http://www.andarsemrumo.blogspot.com/, Karla Nogueira do Recanto da Fenix www.recantodafenix.com  Geraldo do Pharisfaces ww.pharisfaces.blogspot.com/, e Rodrigo Piva do Curiosando http://www.curiosando.com.br/

Vieram outros tantos amigos que também nos incentivaram e continuam incentivando, merecendo, portanto, o nosso agradecimento, mas deixamos de citá-los a fim de não cometer qualquer injustiça, pois agradecimento com citações de nomes é como lista de festa de casamento: sempre esquecemos alguém.

Resolvemos, no terceiro aniversário de Um pouco de tudo, republicar a história “O longo caminho para casa”, não por falta de imaginação, mas por ser a postagem que mais gostamos.

Como foi postada em 13 de Dezembro de 2008, talvez muitos não a conheçam e esperamos que gostem.

O longo caminho para casa

Freqüentemente, um período de crise é um período de descobertas, um tempo em que não conseguimos manter o antigo modo de fazer as coisas e entramos numa acentuada curva de aprendizado. Às vezes é preciso uma curva para iniciar o crescimento.

Tive uma paciente que estava no oitavo ano de recuperação de um câncer cervical. Ela viera todas as semanas na época em que estava fazendo o tratamento contra o câncer, mas agora nos víamos apenas para “reavivar a memória”, quando ela se sentia pressionada e tensa. Helena era uma mulher deslumbrante, que passava muitas horas cuidando da aparência. Mesmo durante a pior fase da quimioterapia e doença suas unhas eram perfeitas; suas perucas primorosas. Ninguém vira seu rosto sem maquiagem desde que era menina. Permanecera solteira por muitos anos. Quando se casou, sempre acordava trinta minutos antes do marido para estar totalmente maquiada e vestida quando ele abrisse os olhos.

O Índice do Stress de Holmes-Rahe atribui o mesmo grau de stress para uma promoção e uma perda de emprego, para um casamento e um divórcio. Talvez seja a mudança em si que provoque o stress, seja ela uma perda ou um ganho. Helena veio me procurar para um de seus “retoques” porque ficara noiva. Ela descreveu o noivo como uma pessoa maravilhosa, gentil, leal, inteligente e com grande senso de humor. Ele era um homem de negócios muito bem sucedido e criativo. Estavam morando juntos fazia algum tempo e davam-se otimamente. Ela o descreveu como “perfeito”, exceto por uma coisa: faltava-lhe paixão. A vida romântica dos dois era “agradável, mas tediosa”. Ele lhe pedia permissão toda vez que a beijava. Ela não tinha certeza de ser isso o que desejava de um homem.

Tudo isso mudou abruptamente, no dia 17 de Outubro de 1989, às 17h04. Naquela tarde, Helena estava em uma das lojas de departamento mais finas do centro de São Francisco, procurando o traje perfeito para um jantar de negócios em honra de seu noivo. Na companhia de uma vendedora ela estava em um provador experimentando um vestido de seda fúcsia que acabara de decidir ser perfeito. As duas mulheres estavam admirando o vestido quando a vendedora sugeriu que Helena fosse vestida com ele até o sétimo andar para experimentar um par de sapatos que combinasse. Deixando todos os seus pertences no provador trancado, ela foi até a seção de calçados. Acabara de calçar um par de sapatos de salto alto, de tom perfeito, quando aconteceu o terremoto.

Todas as luzes se apagaram. O prédio tremeu violentamente e Helena foi atirada ao chão. No escuro, ouviu coisas caindo à sua volta. Quando o tremor passou, ela, algumas vendedoras e vários outros clientes deram um jeito de descer as escadas no escuro até a porta de saída. Vidros quebrados espalhavam-se por toda a parte.

Helena viu-se na rua com um vestido caríssimo e sapatos com salto de dez centímetros que combinavam perfeitamente. Pessoas assustadas e atarantadas passavam rápido por ela. Toda a sua roupa e sua bolsa estavam em algum lugar no caos escuro de um prédio no qual possivelmente não era seguro entrar. Seu dinheiro estava na bolsa. As chaves do carro também. Andando até a esquina, ela tentou fazer uma ligação no telefone público. Não funcionava.

Helena era uma pessoa que nunca fora capaz de pedir ajuda, e não conseguiu pedir ajuda naquela situação. Começou a andar em direção ao norte, para sua casa em San Rafael, a muitos quilômetros dali.

Ela demorou quase oito horas para chegar. Depois de algum tempo, seus pés começaram a doer, por isto ela tirou os sapatos de salto e jogou-os fora. Continuando a andar, as meias de náilon rasgaram e seus pés começaram a sangrar. Ela passou por prédios que tinham desabado, tropeçou em detritos, chapinhou em ruas cobertas de água imunda devido às tentativas de apagar o fogo. Suja, suada e despenteada, ela seguiu pela marina até a ponte Golden Gate, atravessou-a até o condado vizinho. Chegou a casa pouco depois da meia noite e bateu à porta. O noivo abriu, ele que nunca antes a tinha visto com os cabelos desalinhados. Sem uma palavra, ele a tomou nos braços, fechou as portas com um chute, cobriu seu rosto sujo e manchado de lágrimas com beijos e fez amor com ela ali mesmo no chão.

Helena é uma pessoa muito inteligente, mas não conseguiu entender porque nunca encontrara aquele amante ardoroso antes. Quando lhe perguntou ele respondeu simplesmente: “Eu estava sempre com medo de borrar seu batom”.

Ela me contou que hoje, quando começa a ter uma recaída do seu antigo perfeccionismo, lembra o olhar de amor no rosto do noivo quando ele abriu a porta. Toda a sua vida ela fora alvo dos olhares dos homens, mas nunca vira aquela expressão em nenhum deles antes.

No âmago e toda verdadeira intimidade está uma certa vulnerabilidade. É difícil confiar a alguém nossa vulnerabilidade se não vemos na pessoa uma vulnerabilidade equivalente e sabemos que não seremos julgados. De algum modo fundamental, nossas imperfeições e até mesmo nossa dor, atraem os outros para perto de nós.

Do livro: “Histórias que curam – Conversas sábias ao pé do fogão” – Rachel Naomi Remen
ilustração: freepik.com

25 comentários:

Jorge disse...

Manoveio,

o tempo passa mas a qualidade do teu blog se aperfeiçoa. Coisas do mano que movimenta o Amor em tudo que faz como este blog.
Que continue o teu sucesso por mais tantos e tantos anos.

Um forte abraço
Manovo

moreijo disse...

Quase que fazemos juntos,o nosso blog de ficção faz dia 08 também 3 anos,não podia deixar de passar aqui e cantar"parabéns para o pouco de tudo ,muitas felicidades" e ao blogueiro também afinal sem vc não haveria o blog..ate mais e que repita muitas veses esta data...fuiiiiiiiiiiii

Felipe disse...

Mano
"Brigadom" como dizemos, mas Um pouco de Tudo não existiria se não fosse pelo incentivo de muita gente e você é um deles.
Bração Mano

Felipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe disse...

Moreijo

Quase somos gêmios.
Grato pelas palavras e aproveitando a oportunidade desejo que possamos cantar parabéns dia 06 e dia 08 por muito tempo.
Abraços

Mary Miranda disse...

Meu Queridíssimo Canceriano Favorito!

Só tenho a dizer que, COMO É BOM QUE O UM POUCO DE TUDO EXISTE!!!!
É maravilhoso encontrar aqui nesse cantinho, afeto, reflexão, bondade, esperança, amizade, amor...
Sinto-me segura quando passo nesse espaço porque sei que, com certeza, encontrarei sentimentos verdadeiros, o que tanto se faz necessário para nos entendermos como gente!
Felipe, meus parabéns mais sinceros!!!!
Mais mil anos de blogagem, querido, e continue sempre com essa proposta de levar belíssimas mensagens, como essa, do post que escolheu para ser o comemorativo!
Conte comigo no que for possível ajudar, e repetirei o que você já cansa de saber: sou sua fã número 1 e a presidenta mais devotada que um fã clube poderia ter!
Repetirei também o que me disse uma vez, mais ou menos assim: "Que ninguém tente tomar meu posto porque esse vitalício!" rsrsrs

Beijos!!!!

Da presidenta que te adora,

Mary:)

Ródrio disse...

Parabéns ! Gosto muito de passar por aqui - que outros anos passem e com certeza a qualidade continuará. Abração JFelipe e sucesso sempre, amigo.

Felipe disse...

Ródrio
Grato pela visita, pelas palavras e pela confiança.
Abraços

Felipe disse...

Moça Bonita
Um pouco de tudo não existiria não fosse o carinho aapoio de pessoas amigas como você.
Pessoas que somam e nossa vida vica melhor, mais gostosa de viver.
Grato por tudo minha eterna presidente e vice-versa.
Beijão

Daniela Figueiredo disse...

Felipe, três anos de blog, parabéns! Não é fácil manter um blog por tanto tempo! Eu te desejo muito sucesso, e que tu continues inspirado por muito tempo! Obrigada pela lembrança, beijos!

Felipe disse...

Dani
Sou eu quem devo agradecer a você por tudo de bom que passou pra mim, quer através dos artigos do Mundo Insano, quer através das aulas para que Um Pouco de Tudo Existisse.
Beijão

Teka disse...

Aprendi muito também com "Um Pouco de Tudo", foi um de meus primeiros blogs a favoritar!Beijo JF!

Um Oficial com Espada Própria disse...

Parabéns meu grande amigo E Muito Sucesso Para seu Blog por muitos e muitos anos e que sejam só alegrias mil, obrigado por nos informar e podermos participar juntos de sua alegria!!!!!

Rodrigo Piva disse...

Tanti auguri para o Um pouco de tudo, Felipe! Que tenha ainda mais sucesso e continue a nos brindar com conteúdo de qualidade que você é especialista em produzir. E muitíssimo obrigado pela honra em ser citado neste post especial de aniversário.
Parabéns e grande abraço!

REUNINDO AMIGOS! disse...

Fê...

Vim aqui trazer nesse dia feliz, um pouco de tudo: amor, carinho, amizade, alegria muita Luz pra você!

Bjs meus!

Nyl

Felipe disse...

Teka
Fico feliz que tenha passado por aqui e agradeço suas palavras minha amiga.
Aprendi muito em Teka Tun.
Beijão

Felipe disse...

Meu Caro Oficial
Prazer em tê-lo aqui hoje. Grato pelas palavras.
Abraço

Felipe disse...

Paisano
Você sabe que é um dos responsáveis pela existência de Um Pouco de Tudo.
Grato por todo auxílio durante esses três anos.
Tenho certeza que posso contar com você por muito tempo
Abraços

Felipe disse...

Nilza
Que surpresa agradável.
Grato pela visita.
Há tempos não nos vemos, mas você sabe que mora no meu coração
Um Beijão pra você e para toda a família.

Samanta Sammy disse...

Olá meu querido amigo virtual !!!

Parabéns pela data tão especial !!
Sempre digo que devemos comemorar com muita alegria, pois nestes espaços nos divertimos, aprendemos, interagimos, fazemos amigos e tantas coisas maravilhosas que são fruto de dedicação e amor ao que fazemos !
Lhe desejo muito sucesso e felicidades e que continuemos juntos na blogosfera !!
Linda a postagem que compartilhou novamente !!

Um enorme abraço !!! Tim! Tim !!

Sissym disse...

Felipe, então somos amigos todo este tempo... ou quase todo este. E voce É meu amigo. Voce me quer bem.

Tudo que já li no seu blog sempre me trouxe um conteudo subjetivo, pois eu preciso pensar e ver onde eu me encaixo, o que entendo e o que tenho para melhorar.

Este texto sobre Helena, quantas Helenas existem em nós? Muitas mulheres são batalhadoras e inteligentes, corajosas e sonhadoras tambem, mas intocáveis. Um pouco de naturalidade faz bem, transparecer o "eu" é necessário, especialmente quando se lida, de maneira próxima, com amigos, parentes e amores.

Beijos

Felipe disse...

Sorriso Mineiro
Grato pelas suas belas palavras. É bom tê-la como amiga e ainda chamá-la por um nome que você tanto gosta.
Bijão

Felipe disse...

Molequinha
Desde o início aprendi a gostar de você, mas gostar mesmo.
Sempre gostei de suas poesias e até´me atrevi a voltar a fazer (sabe que não escrevia há muito tempo?).
Sissym você e Laura moram no nosso coração (meu e da Iva).
Grato por tudo.

Sou suspeito para falar sobre o texto de Helena. É um dos que mais gosto.

Beijão

Geraldo disse...

Caro Amigo,

Agradeço demais a citação de meu blog e do carinho. Ando meio afastado do diHITT , mas que esta sua consideração talvez fique mais presente...

Abraço

Felipe disse...

Meu Amigo e Confrade Geraldo
Você foi uma das pessoas que me recebeu muito bem quando cheguei no Dihitt e me incentivou para que Um pouco de Tudo exitisse.
Tenho notado sua falta, mas quem sabe agora você retorne, nem se for aos poucos.
Abraços e obrigado por tudo.

Related Posts with Thumbnails