terça-feira, 3 de agosto de 2010

Envelhecer não significa amadurecer

No primeiro dia na Universidade, nosso professor se apresentou e nos pediu que procurássemos conhecer alguém que não conhecíamos ainda. Fiquei de pé e olhei ao meu redor, quando uma mão me tocou suavemente no ombro. Me dei volta e me encontrei com uma velhinha enrugada cujo sorriso lhe iluminava todo seu ser. 'Oi, gato. meu nome é Rose. Tenho oitenta e sete anos. Posso te dar um abraço? Ri e lhe respondi com entusiasmo: -'Claro que pode!' Ela me deu um abraço muito forte.

'Por que a senhora está na Universidade numa idade tão jovem, tão inocente?', lhe perguntei. Rindo respondeu: 'Estou aqui para encontrar um marido rico, casar-me, ter uns dois filhos, e logo aposentar-me e viajar.' 'Eu falo sério', lhe disse. Queria saber o que a tinha motivado a afrontar esse desafio na sua idade. 'Sempre sonhei em ter uma educação universitária e agora vou ter!', me disse. Depois das classes caminhamos ao edifício da associação de estudantes e compartilhamos uma batida de chocolate. Nos fizemos amigos em seguida. Todos os dias durante os três meses seguintes saiamos juntos da classe e falávamos sem parar. Me fascinava escutar a esta "máquina do tempo". Ela compartilhava sua sabedoria e experiência comigo.

Durante esse ano, Rose se fez muito popular na Universidade; fazia amizades aonde ia. Gostava de vestir-se bem e se deleitava com a atenção que recebia dos outros estudantes. Desfrutava muito.

Ao terminar o semestre convidamos Rose para falar no nosso banquete de futebol. Não esquecerei nunca o que ela nos ensinou nessa oportunidade. Logo que a apresentaram, subiu ao pódio. Quando começou a pronunciar o discurso que tinha preparado de antemão, cairam no chão os cartões aonde tinha os apontamentos.

Frustrada e um pouco envergonhada se inclinou sobre o microfone e disse simplesmente, 'desculpem que esteja tão nervosa. Deixei de tomar cerveja por quaresma e este whisky me está matando!' 'Não vou poder voltar a colocar meu discurso em ordem, assim que permitam-me simplesmente dizer-lhes o que sei.

Enquanto nós riamos, ela aclarou a garganta e começou: 'Não deixemos de brincar porque estamos velhos; ficamos velhos porque deixamos de brincar. 'Há só quatro segredos para manter-se jovem, ser feliz e triunfar'. 'Temos que rir e encontrar o bom humor todos os dias. 'Temos que ter um ideal. Quando perdemos de vista nosso ideal, começamos a morrer. 'Há tantas pessoas caminhando por aí que estão mortas e nem sequer sabem!' 'Há uma grande diferença entre estar velho e amadurecer. Se vocês têm dezenove anos e ficam na cama um ano inteiro sem fazer nada produtivo se converterão em pessoas de vinte anos. Se eu tenho oitenta e sete anos e fico na cama por um ano sem fazer nada terei oitenta e oito anos.

'Todos podemos envelhecer. Não requer talento nem habilidade para isso. O importante é que amadurecemos encontrando sempre a oportunidade na mudança'. 'Não me arrependo de nada. Nós velhos geralmente não nos arrependemos do que fizemos senão do que não fizemos. Os únicos que temem a morte são os que têm remorso'. Terminou seu discurso cantando 'A Rosa'. Nos pediu que estudássemos a letra da canção e a colocássemos em prática em nossa vida diária.

Rose terminou seus estudos. Uma semana depois da formatura, Rose morreu tranqüilamente enquanto dormia. Mais de dois mil estudantes universitários assistiram as honras fúnebres para render tributo a maravilhosa mulher que lhes ensinou com seu exemplo que nunca é demasiado tarde para chegar a ser tudo o que se pode ser. "Não esqueçam que ENVELHECER É OBRIGATÓRIO; AMADURECER É OPCIONAL". 

Desconheço o autor
foto: revista Vida Simples

6 comentários:

Sissym disse...

Será que é o caso das pessoas me reencontrarem e dizerem categoricamente que eu não mudeir em nada e sou a mesma pessoa?! Por um tempo, quando estava muito deprimida, eu olhava no espelho e não me reconhecia, achava que havia envelhecido muito. Quando respirei fundo e melhorei muito, resgatando especialmente o meu jeito sempre e unico de ser, entendi que os anos passaram e eu realmente continuo a mesma. Principalmente por ser tão sonhadora. Talvez sonha me mantenha na juventude.

Felipe disse...

Molequinha
Sonhar nos mantém jovens, alegres e brincalhões.
Sou muito mais feliz hoje do que quando era jovem, formal ensimesmado.
Beijão

Jackie Freitas disse...

Olá Felipe!
Que história envolvente e comovente! E quantas verdades nas palavras dessa encantadora senhora. Acredito também que temos uma vida inteira para brincar, curtir a viagem apreciando a paisagem. Eu sempre pensei aqui que enlouquecer com os problemas não nos torna mais maduros...apenas criam mais rugas e demonstram mais rapidamente o corpo cansado.
Sorrir é um grande remédio, comprovado cientificamente, portanto levar a vida com bom humor abre mais canais para a captação de boas energias...o corpo agradece e a mente rejuvenesce!
Grande beijo,
Jackie

Mary Miranda disse...

Olá, Felipe!
Linda crônica embora um tanto triste no final.
Quase chorei com as sábias palavras dessa mestra que você teve a honra de conhecer!
Se todos nós levássemos a sério seu ensinamento de vida, nosso mundo seria tão melhor...
Beijos,
Mary :)

Felipe disse...

Jackie
A vida foi feita para ser bem vivida. Infelizmente muitos complicam uma coisa que é tão simples; o bem viver.
Grato pela visita.
Beijão

Felipe disse...

Moça Bonita
Essa velhinha era um poço de sabedoria. Não a conheci, desconheço o autos da história, mas tenho na família uma tia que foi igualzinha a ela. Aos 65 anos resolveu fazer a Faculdade de Direito e recebeu o seu diploma aos 70 anos.
Era a líder da família, respeitada e conselheira de todos nós.
Grato pela visita.
Beijão

Related Posts with Thumbnails