domingo, 18 de abril de 2010

O guardião do mosteiro

Certo dia, num mosteiro, com a morte do guardião, foi preciso encontrar outro que o substituísse. O grande Mestre, então, convocou todos os discípulos para descobrir quem seria a nova sentinela.

O Mestre, com muita tranqüilidade, falou:

Assumirá o posto o monge que conseguir resolver primeiro o problema que eu vou apresentar.

Então ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo.

E disse apenas:

-Aqui está o problema! Todos ficaram olhando a cena:

O vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro!

O que representaria? O que fazer? Qual o enigma?

Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e ...Zapt!... destruiu tudo, com um só golpe.

Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse:

- Você é o novo Guardião. Não importa que o problema seja algo lindíssimo.

Se for um problema, precisa ser eliminado.

Um problema é um problema, mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou.

Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, deve ser suprimido.

Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam espaço - um lugar indispensável para criar a vida.

Os orientais dizem:

- Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar fora o chá para, então, beber o vinho. Ou seja, para aprender o novo, é essencial desaprender o velho.

Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários até chegar às pessoas do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em sua mente.

Vai ficar mais fácil ser feliz.

Fonte: Momento Espírita
foto: internet

10 comentários:

Roniel A. disse...

Amigo Felipe, foi gratificante poder compartilhar a leitura desse texto que é uma grande lição de vida, um grande ensinamento para todos nós. Acredito que nós carregamos muito peso, e de tempos em tempos temos que jogar um pouco desse pesado fardo para continuarmos caminhando. Parabéns pela excelente postagem. Abraços. Roniel.

Felipe disse...

Roniel
Uma limpeza, de vez em quando, em todas as gavetas de nossa vida faz muito bem. Pena que nos acomodamos e deixamos de nos desfazer daquilo que, muitas vezes, só pesa sem trazer benefício algum.
Grato pelas palavras.
Abraços!

Maria Marçal disse...

Diria Felipe que é de uma grandeza ímpar essa mensagem, mas para nós que temos coração se torna muito difícil, quase insuportavelmente difícil, trancar a porta para quem foi importante num determinado momento para nós.

Um beijo meu querido, mas entendo que esse deva ser o caminho mesmo.

Maria Marçal - Porto Alegre - RS

Felipe disse...

Grato pela visita minha querida amiga.
Beijão!

oSabeTudo disse...

Olá Felipe,

É como dizem, deus quando fecha uma porta, abre duas, basta seguir em frente e procurar.

Belas palavras, Obrigado Felipe.

Abraços.
Rogério Gomes

deste-mundo-e-de-outros disse...

Olá Felipe,

Acredito que eliminamos menos problemas do que deveríamos. Umas vezes porque não sabemos como livrar-nos deles, outras somos porque somos apegados a eles. É por isso que frequentemente andamos pesados e tristes.

Bela história, meu amigo.

Beijos
Luísa

Felipe disse...

Luísa
Sábias palavras vindas d'além mar.
Beijão!

Felipe disse...

Rogério
As vezes nós temos preguiça e nosacostumamos com situações nada agradáveis e a culpa vai para a conta Dele.
Abraços!

gibanet disse...

Belissimo este texto e pode ser comprementado com uma frase da sabedoria oriental que diz, tudo o que precisa ser aprendido está dentro de você, para tanto, basta aprender a se conhecer. Abraços

Felipe disse...

Giba
Grato pela visita e comentário.
Abraços!

Related Posts with Thumbnails