quarta-feira, 3 de março de 2010

A volta

Foi durante a limpeza do quintal. O pai, Bruce, juntava as folhas com o ancinho, recolhia os galhos quebrados pelo furacão da véspera.
Então, olhou para o filho e teve um impulso de abraçá-lo.
Ele o levantou, o beijou e lhe disse como se sentia feliz em tê-lo como filho.
A resposta do menino de apenas 4 anos o desconcertou:
Foi por isso que escolhi você. Eu sabia que você seria um bom papai.
Bruce ficou atônito e pediu que o menino repetisse o que dissera.
É isso: quando encontrei você e mamãe, tive certeza que você seria bom para mim.
Aquilo estava ficando intrigante.
Como assim nos encontrar? Onde você nos encontrou?
No Havaí.
O pai sorriu e esclareceu que os três tinham estado no Havaí no ano anterior. Mas o garoto replicou:
Não foi quando todos fomos ao Havaí. Foi quando você foi sozinho com mamãe.
E continuou, acrescentando detalhes:
Encontrei vocês no grande hotel cor-de-rosa. Vocês estavam na praia, de noite, jantando.
Realmente, Bruce e a esposa tinham estado no Havaí em 1997, para comemorar seu quinto aniversário de casamento.
Tinham se hospedado num hotel de cor rosa, na praia de Waikiki. E tinham jantado ao luar, na praia, na última noite de sua estada.
Cinco semanas depois, a esposa descobrira estar grávida.
O filho descrevera tudo com perfeição.
Como poderia saber? Aquele não era um assunto que os pais comentassem, não com aqueles detalhes.
* * *
O fato não é isolado e acontece com muitas crianças que surpreendem os pais com informações de um tempo que antecede o seu nascimento.
Não é raro, o garotinho olhar para a mãe e dizer: Quando eu era grande, carreguei você no colo.
Quando eu morava na outra casa, eu tinha muitas joias. E um carro muito bonito. Eu sempre viajava nele porque ele era confortável e grande.
Ou a menina olha o álbum de fotografias antigas e, de repente, apontando para uma foto de sua avó, ou bisavó ou tia-avó, exclama:
Olha eu aqui!
Nossa, eu era bonita, né?
Tais discursos partem de pirralhos, de crianças pequenas, de forma espontânea.
E, da mesma forma que assim se expressam, deixando boquiabertos os que os ouvem, retornam aos interesses da idade e às falas próprias da infância.
É como se um flash acendesse na memória, detonando uma lembrança, que é expressa com espontaneidade demonstrando que somos viajores do tempo, através das muitas vidas, no rumo do grande bem.
Extraído de Momento Espírita, com base em dados colhidos no livro A volta, de Bruce e Andréa Leininger com Ken Gross, ed Best Seller
foto: internet

10 comentários:

Fernandez disse...

Bonito texto amigo Felipe!
Bem interessante. Gostei do post!
Abraços.

Felipe disse...

Fernandez.
É um livro bem interessante. Vale a pena.
Grato pela visita e comentário.
Abraços!

João Poeta disse...

Um fato simplesmente emocionante. Eu sou reencarnacionista.
Parabéns pelo post
João

Rosana Madjarof disse...

Felipe,

Não conhecia esse livro, mas pelo que você narrou, deve ser maravilhoso mesmo.

Tudo que se relaciona com a Doutrina Espírita e a reencarnação me fascina, pois creio piamente que a vida não acaba com a morte do corpo físico. Somos imortais, e a vida apenas é uma passagem para o nosso aprendixado enquanto encarnados.

Gostei da sinopse e vou comprar o livro sim.

Obrigada por esta valiosa informação.

Bjs.

Rosana.

MARIA COSTA disse...

Oii Felipe

Esse livro parece bem interesante,me identifico muito com a doutrina espirita e adoro ler os livros e tentar aprender o desconhecido.
Bjs

Felipe disse...

João Poeta
Nós, que acreditamos na reencarnação, ficamos felizes quando livros como este são publicados.
Grato pela visita e comentário.
Abraços!

Felipe disse...

Rosana.
Nós já nos encontramos em alguma dessas vidas passadas.
Grato pela visita e comentário.
Beijos

Felipe disse...

Mary
A reencarnação vai quebrando barreiras, mostrando ser uma verdade incontestável.
Grato pela visita e comentário.
Beijos

Geraldo disse...

Olá Felipe,

Estas histórias são muito bonitas, em certo ponto poéticas e sempre nos dão a esperança de voltar ao convivio de amigos e parentes do passado. Herminio Miranda fala histórias legais em seu Fronteiras do Além..

Abraço

Felipe disse...

Meu Caro Geraldo
Histórias sobre reencarnação aguçam o interesse das pessoas sobre o assunto.
Embora este livro não seja espírita, tecnicamente falando, mostra que há vida depois da vida.
Quanto ao Hermínio. dispensa comentários. Um dos próximos livros (tenho uma fila) que pretendo ler é "As sete vidas de Fenelon".
Forte abraço meu amigo.

Related Posts with Thumbnails