sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Frases e comportamentos sábios I

O Coração do Governador

Dom Duarte da Costa não foi lá muito feliz em seu governo, mas possuía bom coração e suportava tudo com paciência. Nunca se valeu de sua autoridade para perseguir inimigos pessoais.
Conta-se, que certa vez, numa casa em Salvador – com janelas e portas cerradas – várias pessoas falavam mal dele. Faziam em tão altos brados que um transeunte casual aproximou-se da janela e gritou-lhes.
- Falem baixo que o governador pode ouvir – e continuou o seu caminho.
Correram, abriram a janela para ver quem era, e ficaram abismados: era o próprio governador que falara.


Hipocrisia

Um amigo, em palestra com Voltaire, comentou:
- É muita bondade sua falar tão bem de Monseur X, quando ele diz tantas coisas desagradáveis a seu respeito.
- Bem, pode ser que ambos estejamos enganados, comentou Voltaire.



Resposta adequada

Franz Liszt dava um concerto com a presença do Czar Nicolau I, quando este, que amava muito pouco a música, pôs-se a conversar em alta voz. Liszt subitamente parou de tocar. Como o czar lhe perguntasse porque parara, Liszt cortesmente respondeu.
- Quando um imperador fala, todos devem calar-se.


Resposta de Sócrates

Quando Xantipa, mulher de Sócrates, chorando acudiu à prisão onde estava recluso seu marido e soube que ele fora condenado à morte exclamou:
- Mas condenam-te injustamente, pois és inocente.
Sócrates respondeu-lhe calmamente:
-Quê? Acaso tu querias que eu fosse culpado?




Mensagens dos Mestres
fotos: internet

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Flexibilidade (Logosofia)

RIGIDEZ: esta deficiência responde a um pensamento inflexível que governa a mente do indivíduo e influi sobre seu caráter, tornando-o duro e contumaz.

Uma palavra deve permear toda atividade do ser humano: flexibilidade.

Ser flexível significa estar apto para se desvencilhar de qualquer situação difícil ou, em outras palavras, não ter dificuldade para adaptar-se a novas situações.

Ser flexível significa, também, dispor sempre de alternativas para o momento que se está vivendo.

Isto se levando em conta que esse é um bom momento. É preciso considerar que um imprevisto pode, repentinamente, acabar com o bom momento. As alternativas são formas de evitar a contaminação do bom momento, preservando a manutenção dos objetivos estabelecidos para a vida.

A vida deve ser baseada em objetivos permanentes, que possibilitem ao homem, a cada dia que passa ter a clara sensação de continuidade em seus afãs, e esses objetivos não podem ser relegados ao segundo plano, como conseqüência de mudanças repentinas em sua condição de sobrevivência.

Quando se vive um bom momento é que se deve pensar no futuro. O mau momento coloca o ser frente a dificuldades que está enfrentando no presente.

É a flexibilidade que possibilita encontrar tempo para si mesmo. Através dela pratica-se a conciliação que é a forma de encontrar, sempre, alternativas para evitar o confronto; confronto com o semelhante, confronto com si mesmo.

Sem o recurso da flexibilidade é muito difícil encontrar espaço de tempo para dialogar com o próprio espírito.

O ser humano vive em um mundo de ficção, onde as aparências não guardam relação com a realidade interna de cada indivíduo. A luta para manter esse estado aparente consome todo o seu tempo. A distância entre o que aparenta ser e o que realmente é se torna cada vez maior.

É a sustentação dessa imagem que dá origem à rigidez. É tão frágil o edifício construído que necessita atenção permanente; qualquer peça que se desloque pode provocar seu desabamento.

Aí está a grande dificuldade com que o ser humano se depara para tornar factível seu processo de evolução consciente: o confronto entre o imaginário e o real.

A flexibilidade desmonta, sem traumas, o edifício quimérico, substituindo paulatinamente, a fragilidade das peças imaginárias pela solidez das peças reais.

Daniel Rodrigues.
Extraído de “O Regional” – ed. 174, Ano III
foto: DW. World.DE

domingo, 25 de janeiro de 2009

Parabéns, São Paulo !

O Tamanduateí, preguiçoso, traçava caprichosos meandros bordando a várzea. Do outro lado o Anhangabaú procurava um desaguadouro, sem pressa de chegar.
Ao centro, altaneira, sobressaindo-se à paisagem, a colina. Ponto estratégico, de vasta área, ideal para erguer paliçada.

A visão do padre Manuel da Nóbrega, num relance, indicava ser ali o local ideal para a cidade que se planejava erguer no Planalto de Piratininga.

O calendário assinalava 25 de Janeiro de 1554.

Rudes choças brotavam aqui e ali na terra há pouco desbravada e, de longe, o gentio repetia a palavra mágica que os jesuítas lhes ensinara a dizer: “São Paulo”.

Passa o tempo e o centro da provinciana cidade sai do “Páteo do Colégio” deslocando-se para o triângulo onde hoje estão as ruas Direita, 15 de Novembro e São Bento.

Segundo os viajantes daquele não muito longínquo 1822, tratava-se de uma região rústica fria e escura mas, a nossa independência foi proclamada nestas plagas.

Chega o ano de 1828 e no dia 1º de Março, o Convento de São Francisco, é escolhido como local onde seria instalado o curso jurídico de São Paulo, de onde saem poetas e oradores, grandes luminares da cultura jurídica do País.

O tempo corre célere e em 1954 a pequena vila dos jesuítas, no ano do seu 4º Centenário, já é conhecida como a cidade que mais cresce no Brasil.

Hoje, São Paulo é a 4ª metrópole do mundo com seus 10.500.000 habitantes, num território de 1530 km2 onde, como em toda grande cidade, são encontrados grandes problemas mas, São Paulo recebe cerca de 9 milhões de visitantes por ano sendo o seu aeroporto (Congonhas), o mais movimentado do País em pousos e decolagens.

Afora isto, 1 milhão de pessoas circulam por dia pela Av. Paulista, enquanto 400 mil pessoas passam diariamente pela Rua 25 de Março.

A Rua Oscar Freire está colocada dentre as 10 primeiras daquelas que têm as lojas mais sofisticadas do mundo e, em toda a cidade, 10 compras são efetuadas por segundo com a utilização de cartões de crédito e débito.

A cidade recebeu com carinho os imigrantes que nela aportaram. São Paulo é a maior cidade japonesa fora do Japão, a maior cidade espanhola fora de Espanha e a terceira maior cidade italiana do mundo.

A capital do estado conta com 120 teatros e casas de shows, 71 museus e 11 centros culturais.

Isto é São Paulo. Do zero ao infinito. Da igrejinha dos jesuítas à maior cidade da América Latina
.
dados: internet
foto: Av. Paulista (noite) - internet

sábado, 24 de janeiro de 2009

Se eu morrer antes de você





(Francisco Cândido Xavier )


Se eu morrer antes de você,


faça-me um favor:


Chore o quanto quiser,


mas não brigue com Deus


por Ele haver me levado.


Se não quiser chorar, não chore.


Se não conseguir chorar,


não se preocupe.


Se tiver vontade de rir, ria.


Se alguns amigos contarem


algum fato a meu respeito,


ouça e acrescente sua versão.


Se me elogiarem demais, corrija o exagero.


Se me criticarem demais, defenda-me.


Se me quiserem fazer um santo,


só porque morri,


mostre que eu tinha um pouco de santo,


mas estava longe


de ser o santo que me pintam.


Se me quiserem fazer um demônio,


mostre que eu talvez tivesse um pouco


de demônio, mas que a vida


inteira eu tentei ser bom e amigo.


Espero estar com Ele o suficiente para


continuar sendo útil a você, lá onde estiver.

E se tiver vontade de escrever


alguma coisa sobre mim,


diga apenas uma frase:


- "Foi meu amigo,


acreditou em mim


e me quis mais perto de Deus!"


- Aí, então, derrame uma lágrima.


Eu não estarei presente para enxugá-la,


mas não faz mal.


Outros amigos farão isso no meu lugar.


E, vendo-me bem substituído,


irei cuidar de minha nova tarefa no céu.


Mas, de vez em quando,


dê uma espiadinha na direção de Deus.


Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz


vendo você olhar para Ele.


E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai,


aí, sem nenhum véu a separar a gente,


vamos viver, em Deus,


a amizade que aqui nos preparou para Ele.


Você acredita nessas coisas?


Então ore para que nós vivamos


como quem sabe que vai morrer um dia,


e que morramos como


quem soube viver direito.


Amizade só faz sentido se traz o céu


para mais perto da gente,


e se inaugura aqui mesmo o seu começo.


Mas, se eu morrer antes de você,


acho que não vou estranhar o céu...


"Ser seu amigo...já é um pedaço dele..."


domingo, 4 de janeiro de 2009

Demônios da Garoa cantam Vinícius de Moraes

Na década de 40, o saudoso radialista Vicente Leporace sugeriu que os rapazes que formavam um conjunto chamado “Grupo Luar” escolhessem novo nome, já que a palavra "grupo" dava a idéia de "jogo do bicho".
Foi pedida a ajuda dos ouvintes e não faltaram cartas sugerindo nomes.
A idéia perfeita foi “Demônios da Garoa”, que caiu como luva para este conjunto de São Paulo, a proverbial terra da garoa. Pena que ninguém se lembrou de guardar o nome de quem rebatizou o conjunto.
Em 1994 os Demônios da Garoa entraram para o Guinness Book - Livro dos Recordes Brasileiro, de onde não mais saíram, como o "Conjunto Vocal Mais Antigo do Brasil em Atividade", além de receberem o disco de ouro pelo álbum 50 Anos.
São os maiores intérpretes de Adoniran Barbosa. Gravaram, dentre outras músicas: “Trem das Onze”, a marca registrada do grupo, “Iracema”, “Saudosa Maloca”, “O Samba do Arnesto”, “As Mariposa”, “Tiro ao Álvaro” e “Vila Esperança”.
O conjunto também gravou músicas de outros autores, bastando lembrar "Oi Nóis Aqui Tra Veis" (Geraldo Blota/Joseval Peixoto), "Preta Pretinha"(Os Novos Baianos ), "Promessa Do Jacó" ( Américo de Campos), "Chum-Chim-Chum" (Heitor Carrillo), "Vai No Bixiga Pra Ver" (Geraldo Filme), "Vamo Que Vamo" (Renato Teixeira).

Mostrando toda sua versatilidade, aqui eles cantam “Se todos fossem iguais a você” (Vinicius de Moraes).





sábado, 3 de janeiro de 2009

Frases e comportamentos sábios

Bondade de um herói

Conta Victor Hugo que seu pai, o general Joseph Léopold Sigisbert Hugo, percorria o campo de batalha, juncado de cadáveres, quando ouviu sair dentre eles uma voz agoniada e implorante, que dizia.
- Dê-me água, por piedade!
O general mandou o ordenança dar de beber ao ferido. Porém, naquele instante, o ferido fez um disparo de pistola contra o general, atravessando a bala o seu boné.
- Que faço com ele, meu general? – perguntou o ordenança, apontando o fuzil contra o ferido.
- Dá-lhe de beber – respondeu o herói.



Prudência

Certo dia um insolente deu um ponta-pé em Sócrates. O sábio sofreu esta petulância pacientemente. Os amigos do filósofo foram de opinião que ele deveria chamar a juízo o agressor e pedir explicações deste ultraje. Mas Sócrates lhes retorquiu.
- Se um burro me der dois coices, hei de chamá-lo aos tribunais?



Precaução

Aconselharam a Felipe da Macedônia a exilar um indivíduo que o caluniava constantemente.
- O céu me guarde – disse o rei – ele repetiria por toda a parte o que agora só diz aqui...



Resposta de um filósofo

Francis Bacon, chanceler da Inglaterra, no reinado de Jaime I, era célebre filósofo, um dos criadores do método experimental.
Uma vez, durante uma conferência, viu serem violentamente atacadas, por um parente, algumas de suas afirmativas.
- Francamente – concluiu o homem – nunca ouvi dizer tamanho absurdo.
- Sr. Presidente, - interpôs calmamente o filósofo – não posso consentir que a ignorância de meu oponente, embora tão vasta, se oponha a minha sabedoria, embora tão pequena.


Mensagens dos Mestres
Fotos Wikipédia
Related Posts with Thumbnails