segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Duas águias, dois destinos



Um bravo índio encontrou um ovo de uma águia. Sabendo que não haveria a mínima possibilidade de devolver o ovo ao ninho da águia, a melhor coisa a fazer foi colocá-lo no ninho de uma galinha. O resultado era previsível. A ave chocou esse ovo de águia, juntamente com os seus próprios ovos, sem nada perceber, pois sabemos que muitos animais, domésticos ou não, não têm capacidade para pensar como seres humanos. Pouco a pouco, a pequena águia foi sendo chocada juntamente com os pintinhos.




Durante toda a sua vida a águia, pensando ser uma galinha, fez o que uma galinha faz. Ela ciscava o pó em busca de sementes e insetos para comer. Cacarejava e grasnava. E voava com um bater de asas tímido, agitando suas penas a poucos metros do chão. Afinal de contas, era assim que as galinhas voavam.



Os anos se passaram. E a águia foi ficando bastante velha. Um dia, ela viu um magnífico pássaro bem lá no alto, voando no lindo céu azul sem nuvens. Pairando com graciosa majestade nas poderosas correntes de vento, ele voava com a mínima batida de suas fortes asas douradas.



- Que belo pássaro!", disse a águia à sua vizinha. O que é ele?



- É uma águia. a mais imponente, poderosa e magnífica das aves, cacarejou a vizinha.



- Mas não fique imaginando coisas. Você jamais poderia ser como ela. Você é como todas nós aqui, e nós somos galinhas.



Assim, prisioneira dessa crença, a águia não pensou mais naquilo. E morreu pensando ser uma simples galinha.

Do livro: As Estações do Coração


********

Um camponês criou um filhotinho de águia junto com suas galinhas. Tratando--a da mesma maneira que tratava as galinhas, de modo que ela pensasse que também era uma galinha. Dando a mesma comida jogada no chão, a mesma água num bebedouro rente ao solo, e fazendo-a ciscar para complementar a alimentação, como se fosse uma galinha. E a águia passou a se portar como se galinha fosse.




Certo dia, passou por sua casa um naturalista, que vendo a águia ciscando no chão, foi falar com o camponês: - Isto não é uma galinha, é uma águia!



O camponês retrucou: - Agora ela não é mais uma águia, agora ela é uma galinha!



O naturalista disse: - Não, uma águia é sempre uma águia, vamos ver uma coisa..



Levou-a para cima da casa do camponês e elevou-a nos braços e disse: - Voa, você é uma águia, assuma sua natureza!



- Mas a águia não voou, e o camponês disse: - Eu não falei que ela agora era uma galinha !



O naturalista disse: - Amanhã, veremos...



No dia seguinte, logo de manhã, eles subiram até o alto de uma montanha.



O naturalista levantou a águia e disse: - Águia, veja este horizonte, veja o sol lá em cima, e os campos verdes lá em baixo, veja, todas estas nuvens podem ser suas.



Desperte para sua natureza, e voe como águia que és...



A águia começou a ver tudo aquilo, e foi ficando maravilhada com a beleza das coisas que nunca tinha visto, ficou um pouco confusa no inicio, sem entender o porquê tinha ficado tanto tempo alienada. Então ela sentiu seu sangue de águia correr nas veias, perfilou, de vagar, suas asas e partiu num vôo lindo, até que desapareceu no horizonte azul.



Criam as pessoas como se galinhas fossem, porém, elas são águias. Por isso, todos podemos voar, se quisermos.



Voe cada vez mais alto, não se contente com os grãos que lhe jogam para ciscar.



Nós somos águias, não temos que agir como galinhas, como querem que a gente seja. Pois com uma mentalidade de galinha fica mais fácil controlar as pessoas, elas abaixam a cabeça para tudo, com medo.



Conduza sua vida de cabeça erguida, respeitando os outros, sim, mas com medo, nunca!

Autor: James Aggrey
Esta história pode ser vista no livro de Leonardo Boff, com o mesmo título: A águia e a galinha.

11 comentários:

Lugirão disse...

Muito interessante...

Temos que acreditar que podemos voar mais alto sempre...

Felipe disse...

Lu.
Concordo com você. Grato pela visita.
Beijão

DFD disse...

Bela história, por mais que sejamos iguais, sempre seremos diferentes.

Abraço

Anônimo disse...

Bela história, por mais que sejamos iguais, sempre seremos diferentes.

Abraço

Felipe disse...

Tem toda razão meu caro Geraldo,
Abraço!

Jorge disse...

Manolo,

tem mais um selo procê. Quem mandou ter um blog maravilhoso?

Bração no terceiro olho

Manovo

Felipe disse...

Mano
Brigadão viu!
Bração
Mano + novo

Unknown man disse...

Manolo
Mais um selo prá sua incrível coleção.

Sandra F. disse...

Grande Felipe

Que texto extraordinário! Uma lição realmente!
Eu saí do Dihitt, mas virei visitar seu cantinho sempre que der.

Beijos!!

Felipe disse...

Sandra.

Sinto pela sua saída, mas fico contente em ter mais uma amiga.
Também passarei no seu blog pra tomar um café sempre que der.
Um Beijão já saudoso

Felipe disse...

Mano.
Só você mesmo.
Bração na oreia.

Related Posts with Thumbnails