quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Flexibilidade (Logosofia)

RIGIDEZ: esta deficiência responde a um pensamento inflexível que governa a mente do indivíduo e influi sobre seu caráter, tornando-o duro e contumaz.

Uma palavra deve permear toda atividade do ser humano: flexibilidade.

Ser flexível significa estar apto para se desvencilhar de qualquer situação difícil ou, em outras palavras, não ter dificuldade para adaptar-se a novas situações.

Ser flexível significa, também, dispor sempre de alternativas para o momento que se está vivendo.

Isto se levando em conta que esse é um bom momento. É preciso considerar que um imprevisto pode, repentinamente, acabar com o bom momento. As alternativas são formas de evitar a contaminação do bom momento, preservando a manutenção dos objetivos estabelecidos para a vida.

A vida deve ser baseada em objetivos permanentes, que possibilitem ao homem, a cada dia que passa ter a clara sensação de continuidade em seus afãs, e esses objetivos não podem ser relegados ao segundo plano, como conseqüência de mudanças repentinas em sua condição de sobrevivência.

Quando se vive um bom momento é que se deve pensar no futuro. O mau momento coloca o ser frente a dificuldades que está enfrentando no presente.

É a flexibilidade que possibilita encontrar tempo para si mesmo. Através dela pratica-se a conciliação que é a forma de encontrar, sempre, alternativas para evitar o confronto; confronto com o semelhante, confronto com si mesmo.

Sem o recurso da flexibilidade é muito difícil encontrar espaço de tempo para dialogar com o próprio espírito.

O ser humano vive em um mundo de ficção, onde as aparências não guardam relação com a realidade interna de cada indivíduo. A luta para manter esse estado aparente consome todo o seu tempo. A distância entre o que aparenta ser e o que realmente é se torna cada vez maior.

É a sustentação dessa imagem que dá origem à rigidez. É tão frágil o edifício construído que necessita atenção permanente; qualquer peça que se desloque pode provocar seu desabamento.

Aí está a grande dificuldade com que o ser humano se depara para tornar factível seu processo de evolução consciente: o confronto entre o imaginário e o real.

A flexibilidade desmonta, sem traumas, o edifício quimérico, substituindo paulatinamente, a fragilidade das peças imaginárias pela solidez das peças reais.

Daniel Rodrigues.
Extraído de “O Regional” – ed. 174, Ano III
foto: DW. World.DE

Um comentário:

Sandra Geise Bortolato disse...

Seu blog está demais, só não entendo porque ninguém comentou essa matéria.
Penso que a flexibilidade é uma característica fundamental para podermos viver em sociedade. Temos que ser flexíveis todos os dias de nossas vidas, pois só assim teremos um verdadeiro desenvolvimento, deixando para trás velhos hábitos.
Muito feliz sua postagem.
Beijokas.

Related Posts with Thumbnails